quinta-feira, 7 de junho de 2012

Pão com poesia



Já estava nascendo em mim
Outro sentimento desconhecido.

E é interessante.

Escutava-se no silêncio
Uma essência abstrata

Era a de minha vida se partindo
Para uma nova transformação.
Quem sabe, superação.

Mas existe sempre uma coisa ausente.
Aqui, dentro de mim.

Eu, sendo o que sou, e procurando tornar-me uma pessoa que ainda nãoousei ser.
Gozo a euforia desse voo em mim.

Sei que medos contemporâneos sempre vão existir.

Mas, eu tenho uma razão de viver,
Que me sustenta.
E que me faz capaz de suportar qualquer coisa.

Agarro-me a ela.
E não preciso de mais nada.

Sra. Vida, pode continuar me testando.
Que eu continuarei dando graças.

Vou ali comer um pão com poesia.
Já volto!
(Marília Felix)

5 comentários:

  1. Excelente:)
    E o pão com poesia; só uma poetisa!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Ei mana!

    Pão com poesia, pão com vida, vida com amor, amor com união, união de manas, pra todo sempre.

    Saudades de te ler!

    Beijo meu, amo tu!

    ResponderExcluir
  3. A poesia sempre vale a pena ...

    Beijo !

    ResponderExcluir
  4. Carreeeego, vc continua escrevendo aqui... Eu toh voltando aos poucos!!! Saudades!!!
    Como sempre arrasou no texto!!
    Bjuus, tbm vou ali comer um pão com poesia (delííícia)!!!rss

    ResponderExcluir
  5. Marília, que saudades das tuas palavras!!! Lembra de mim ainda?? rs
    Vou aparecer pra te visitar mais vezes. Me faz bem...
    beijos!

    ResponderExcluir

'Quem és tu que me lês? És o meu segredo ou sou eu o teu?'